segunda-feira, janeiro 25, 2010

HAICAIS - INTERMÉDIO 1 (tema livre)

Chuva forte
noite fechada
corpo doente
(Úrsula P.)

Suave ar
amarela folha
outono que chega
(Teresa N.)

O fim do verão
as folhas das árvores a cair
é outono
(Cláudia R.)
Amo-te tanto
como a chuva à rosa
meu querido e grande amor
(Ângeles M.)
Sol de verão
frio de inverno
noite sem luz, sem olhos, sem amor
(Ângeles M.)

Neve branca e sangue frio
dor da alma
quero sentir calor
(Ângeles M.)
video

HAICAIS - INTERMÉDIO 2 (tema culinário)



Doce chocolate
tardes pretas de chuva fora
Desejo a tua volta
(Susana V.)

Queijo mol
A se desfazer na boca
É a "tetilha" do leite
(Adela F.)

Galão de inverno
não é leitão do pequeno-almoço
é alimentação
(Roberto L.)

Arroz com as ervilhas
patacas novas
repolho de Betanços
(Auri P.)

O requeijo fica na mesa
da minha memória
aqueles verões em casa
(Emílio C.)

Come sano
ficarás contente
sentirás o ar
(Ângeles P.)

domingo, janeiro 24, 2010

HAICAIS - BÁSICO 1 (tema livre)

Na solidão do silêncio
lembra o idoso
os tempos fugidos
(Iria P.)

Tempo e sol
para as férias
é o melhor!
(Maria M.)

Inverno frio!
Neva, bonecos!
Diversão para as crianças!
(Melina S.)
O silêncio.
A tinta fresca da despedida.
O meu corpo duma corda no sótão.
(António O.)

sábado, janeiro 23, 2010

DIÁRIO DE BORDO 1

Diário de uma viagem

Há uns dias os alunos/as e a professora e o professor de português desta escola fizemos uma viagem de estudos a Chaves e Montalegre, em Trás-os-Montes. A excursão gerou muitas expetativas e eu acho que elas se cumpriram.

O trato dos nossos anfitriões foi agradável. Eles e as pessoas da rua até colaboraram na resolução das nossas "brincadeiras". Nem o frio gélido que decapitou todas as couves de Chaves no impediu de falar, passear, fotografar ou petiscar; nem o vento hirto do planalto de Montalegre evitou trilharmos alguma possível rota do contrabando.

Quanto ao grupo, partimos de autocarro vinte pessoas, para sermos finalmente vinte e uma. Embora fôssemos muitas de nós desconhecidas, logo nos demos bem. Estavam as "mamães" de nível avançado com as suas família, que se integraram como qualquer outro aluno. Não faltou o grupo dos "sensatos", os que nunca deixaram de falar português: foi a turma do "futuro de conjuntivo". Também não esqueçamos "as meninas", que amenizaram a vida de alguém que foi ouvir a rádio e voltou a fazê-la. Houve, aliás, alguma individualidade que de forma célere sintonizou com o grupo. A isto ajudou a atividade-brincadeira concebida pelos professores, que nos dividiram em grupos, após misturarem-nos, para apanhar certas informações dos autóctones. Consequentemente, os objetivos foram conseguidos: interação total da turma e imersão linguística.

Por sua vez, os professores fizeram parte do bando desde o primeiro momento em igualdade de condições, mas com a preocupação que dá a responsabilidade. Iludiram-se: pretendiam que TUDO se ressolvesse conforme o planificado, marcado e combinado. Assim sendo em geral, com atividades desfrutadas como as visitas ao museu de Chaves, à ponte romana sobre o Tâmega, ao Ecomuseu de Montalegre, a Tourém, à rádio ou as refeições e saídas noturnas compartilhadas. Porém, fracassou uma!, ironicamente a mais "etílica" de todas. O azar quer exercer a sua parte: não concordávamos com o Mia Couto -ver artigo colado neste blogue- em que o espírito lusófono-galaico acreditava naquele destino ativo e operativo à margem das nossas decisões? Não podemos, no entanto, negar que esse destino se revela às vezes muito resoluto e mesmo criativo.

Com certeza o assunto do Norberto e, se calhar também, o do homem-orquestra, têm a sua origem nas linhas caprichosas do acaso.

Se perguntarmos a qualquer excursionista o que recorda a esta altura com mais intensidade da sua viagem, certamente haverá vários que coincidam em assinalar a Taberna do Machado. A ninguém lhe foi indiferente, quer pelo frio que experimentou lá, quer pelo pica-pau e a incerta taberneira, ou então pela figura do Norberto e seu irmão.

Ora bem, o Norberto puxa por episódio próprio. Esse homem na casa dos 75 anos, que tanto sabe da rafa da vida: trabalho desde criança, o exílio económico, a vida militar, a evocação da juventude, a velhice, a saudade de Lisboa... O lusitano sentiu-se escutado por uma multidão alheia, que é melhor público porque te permite falar livremente, pois nada tem para te reprovar. Ele armou-se em protagonista da Taberna do Machado e fraternizou com muitas pessoas, mas especialmente com o adolescente, num diálogo particular.

Em certa medida, também tivemos uma surpresa com o condutor do autocarro, se bem que a empresa já tivesse sido escolhida pelo seu conhecimento da zona. Contudo, ninguém estava à espera de um motorista com alto-falante em riste a falar, quer de Montalegre, de Ourense ou de Lugo; quer de altitude, de mamoas, do Larouco ou do Picato. Tudo com uma paixão contagiosa, que lhe valeu o qualificativo de Homem-orquestra, e logo foi engolido pela turma. Eis os 21!

Em conclusão, durante um fim de semana a nova turma de português esteve a olhar, gostar, adorar, combinar, partilhar, experimentar... O que é que faltou? Faltou tempo. E por ora esse problema não o arruma ninguém, enquanto "tempus fugit".

Cumprimentos
Uma passageira

Maria Tareixa de Castro
(Aluna de português na EOI)

A ARTE DO DIZER

A ARTE DO DIZER
RECITAL POÉTICO-MUSICAL NA EIO DE LUGO: Um aluno e uma aluna da Escola abriram a Sessão Poética dizendo cada um, um poema à sua escolha. Elsa Noronha, 'a guerreira da palavra' dirá um poema de um poeta da Galiza – “Libremente” de Celso Emílio Ferreira. E os diversos poetas africanos e portugueses e outros cantos irão-se sucedendo: Rui de Noronha, Noemia de Sousa, Almada Negreiros, Ovídio Martins, Natália Correia...

JÁ A SEGUIR! TUGA-LUGO-LENDO!

JÁ A SEGUIR! TUGA-LUGO-LENDO!
APRESENTAÇÃO DO CLUBE DE LEITURA Sexta-feira, 4 de dezembro 19h30 IES OLHOS GRANDES (Feminino)

Encontro com Cabo-Verde

Encontro com Cabo-Verde
SEXTA-FEIRA 4 DEZEMBRO - 17h30 Encontro com Silvino Lopes na EOI Lugo 17H30 IES OLHOS GRANDES (FEMININO) Lançamento do livro "Rimas no deserto" e música cabo-verdiana

CAMPEONATO PLANETA NH

CAMPEONATO PLANETA NH
Cafetaria Biblioteca de Alejandria, 6ª, 13 de novembro de 2009, às 21:30H

CONCURSO PLANETA NH

CONCURSO PLANETA NH
Todos ao mesmo tempo! Escolham a sua resposta!

Lançamento do livro "Do Ñ para o NH" e Campeonato do Planeta NH

Lançamento do livro "Do Ñ para o NH" e Campeonato do Planeta NH
Vem participar!

LANÇAMENTO DO LIVRO "DO Ñ PARA O NH" - 13 novembro 2009

LANÇAMENTO DO LIVRO "DO Ñ PARA O NH" - 13 novembro 2009
A malta a rir aprendendo com o Valentim!